Catinga de Roda

CATIRA DO POETA BARRASCOSO COM O CAIPIRAÇO. NERVO DIDÁTICO CONTRA A FOSSA QUE DESGOVERNA.

1.
Mano Fábio Casemiro,
se aprochega pro dueto,
limpa a caixa de catarro,
toca a pinga no panfleto.
Nosso céu já tá fedido,
nosso mar ficando preto,
e o bosteiro, sem vergonha,
canta agora no coreto.
07 nov. 2019

2.
No coreto sobra espaço,
cabe até mais um bocudo,
obrigado, Mano Pedro,
tamo junto em trova e tudo.
Mais que pinga, é estricnina
pra pegar na familícia,
tem catarro que dê conta
dessa podre de imundiça?
08 nov. 2019

3.
É famélica família,
pasta tudo que fareja,
do capim até o cartão,
rapa o dízimo da igreja.
Não tivesse a fuça branca
do coxinha tipo Veja,
nego entrava bem na cana
ou se dava mal no EJA.
09 nov. 2019

4.
Os danado lascrifento,
tudo tísico e burbônico,
uma renca de salafra,
num tem um que seja idôneo.
Verminose da natura,
erva braba, tiririca,
não tem quem vale o que come,
são uns bando de lazica.
10 nov. 2019

5.
Vale mesmo o que descome,
tem cagaço e não faz caso,
morde a língua e já cai mole
escorrendo pelo vaso.
Vale menos que o Rio Doce
quem votou, não foi acaso,
se vestiu verde e amarelo,
se fodeu, tomou no atraso.
11 nov. 2019

6.
Taca óleo no oceano,
funda em pixe as tartaruga,
os corá contaminado
não dá trégua, nem tem fuga.
E o Dudu, de piroquinha,
qué bancá de macho tonto,
qué fechá inté o congresso,
tacá AI-5 em nosso lombo.
12 nov. 2019

7.
Na Quadrilha Bozonazi
quem se encosta vira bosta,
o burrão da Educação
zurra um meme por resposta.
A milícia da Polícia
do bandido guarda a costa,
mas o Bispo vigarista
quebra a banca e dobra a aposta.
13 nov. 2019

8.
Tá testando a paciência
do povão desinchavido,
tá mexendo no beiêro,
vai tomá ferrão servido.
Noi dá boi pra num brigá,
boiadão prá num saí,
deixa logo de frescura,
ô, Carluxo, vazaí.
14 nov. 2019

9.
Bão remédio pra cagão,
que não pode com a sacola,
larga atoa na quebrada,
sem blindado e corriola.
No Twitter fala grosso,
quero ver aqui na viola,
onde o fraco janta prego
e quem peida é meia sola.
15 nov. 2019

10.
Você dêxe de sê froxo,
larga mão desse tuíte,
nu’é leão, nem somo hiena,
vem aqui pr’eu dá uns parpite.
Nói num gosta di budú,
tabaréu metido a besta,
larga desse tar de Olavo,
nói num guenta tanta treta.
16 nov. 2019

11.
Macho não se esconde atrás
doutro macho assim de boa,
ou resolve e sai na mão,
ou assume que é leoa.
Trinta anos deputado,
debitando, e não enjoa
de louvar ladrão de farda
que o cacau do povo escoa?
17 nov. 2019

12.
Vai dizê que a terra é plana
ou adoçá refri com feto,
cê tá loco ou carraspana
ou é tonto a mais de metro?
Joyce Hasse tão rosinha,
pá jumenta farta chifre,
se jumento não tem corno
mais jumento é quem mais disse.
18 nov. 2019

13.
Nessa cara de cavala,
a linguiça dava um tranco,
se tivesse um garanhão
no partido assaltimbanco.
Ficam só tirando self
e piscando o loló branco,
se gritar “perdeu, banqueiro!”,
fala o mudo e corre o manco.
19 nov. 2019

14.
Alexandre, o tar do Frota,
é uma junta de cem mula,
pode achá que nóis é tonto,
vem aqui fazê firula.
Mais de bobo nóis nem morre,
o michê ficou bonzinho,
é uma bicha de um machista,
salafrário bombadinho.
20 nov. 2019

15.
Mano Fábio, mano velho,
o político é um ator,
funcionário do mercado,
na república pornô.
Fecha a roda da porteira,
bate o pé, toca o terror,
mas também não vai viver
de cheirar esse fedor.
21 nov. 2019

16.
E num guentam nosso pega,
vai peidá tudo arroz doce,
a cantiga aqui catinga
pelo chêro que eles trouxe.
Fecho a tampa dos esgoto,
nói falamo inté qui bem,
pau na roda dos escrôto
que não passa nem no ENEM.
22 nov. 2019

 

Por Pedrinho Marques e Fabião Casemiro
http://poesiaamao.com.br/catinga-de-roda/